Facebook

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Poesia sem Rimas....


Olá, queria falar com você, não sei se irá gostar da conversa, é sobre nós dois, e um sentimento que apareceu, é forte, bom, eu acho! , bom, vamos lá, lembra das vezes que nos falamos, não fluía nada, ficava parado, sem reação? Pois é, já tinha, e você não sabia, busquei tanto formas e meios de fazer isso ser esquecido, busquei varias coisas para eu fazer, manter minha mente longe do meu coração, as vezes dava certo, mas não demorava muito, logo vinha você em minha mente... bem, aqui estou eu, parado, sem fazer nada, pensando em você escrevendo essa carta poética que não tem rima... busco a lua, minha querida lua e não a encontro, rodeado desses prédios, nessa selva de pedra, cheia de luzes, estou sentado na varanda, olhando para o céu, elevando meus pensamentos a lugares inexistentes, a lugares que só existem na minha mente, e olha quem tá lá... sim, você, somente você. Como pode isso acontecer? Não sei explicar, só sei que é bom, eu gosto, olhar pro seu lindo rosto, ver seu belo sorriso, sentir o doce do seu beijo, nossa, como é maravilhoso, nunca quero sair daqui, quero me prender a esse lugar, ao seu lado, por toda a eternidade.
Não sei o que fazer, não consigo te tirar da minha cabeça... será isso mesmo? Será? Se for assim tudo bem, aceito, aceito ficar do seu lado para sempre, basta saber que o que sinto por você tem resposta, e resposta positiva claro, dentre todo esse romantismo, dentre todas as rimas inexistentes deste texto existe uma resposta de sim, sua? Bem, quero descobrir, quando abrir esta carta poética sem rimas coloca no verso a resposta, que meu coração saberá, mas se preferir pode me ligar, ou vir aqui em casa ou me mandar chamar, que irei correndo, somente para saber... e também mostrar, que o que sinto por você é realmente essa palavrinha com quatro letras... como é mesmo o nome? Aah, sim, é amor...  

Nenhum comentário:

Postar um comentário